Projeto do Centro Pastoral da Paróquia Nossa Senhora das Dores de Rajada

Projeto do Centro Pastoral da Paróquia Nossa Senhora das Dores de Rajada
Clique na imagem e veja todas fotos do centro pastoral. (Projeto: Phana Neri)

segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Quinta-feira é dia de adoração ao Santíssimo Sacramento na Paróquia de Rajada.

A paróquia Nossa Senhora das Dores de Rajada, através da Pastoral da Comunicação convida a todos para a Adoração ao Santíssimo Sacramento, que acontecerá nesta quinta-feira, 03, às 19h30, na Igreja matriz da Paróquia.
Em comunhão com a diocese de Petrolina - PE e demais Igrejas Católicas espalhadas pelo mundo inteiro, a paróquia da Mãe das Dores realiza sempre este momento de Adoração ao Santíssimo na primeira quinta-feira de cada mês.

Horários das celebrações da Paróquia de Rajada disponíveis no site "horário de Missa".

Sempre buscando aprimorar e ampliar os canais de comunicação, a pastoral responsável por este - Pastoral da Comunicação, recebeu mais uma fonte de divulgação. Desta vez com o site: www.horariodemissa.com.br, que é um canal exclusivo sobre as paróquias do Brasil, fornecendo além dos horários das Missas, também o endereço, os contatos e outras informações acerca da Igreja. Atualmente o site já tem 8.745 Igrejas cadastradas.Visitem! 

domingo, 30 de outubro de 2016

Pastoral da Criança da paróquia de Rajada realiza festa da família.






A Pastoral da Criança da Paróquia Nossa Senhora das Dores, localizada no distrito de Rajada, Petrolina - PE, promoveu na manhã deste domingo, 30, a festa da família.
Diante de muitas brincadeiras, inclusive com a presença do palhaço Tempeirinho de Petrolina, as crianças receberam ainda algumas lembrancinhas em comemoração ao dia da criança, celebrado nacionalmente no dia 12 de outrubro. (Fotos: Mayane - coordenadora da Pastoral)

Programação para o dia de finados na Paróquia de Rajada é definida.

A Paróquia Nossa Senhora das Dores, com sede no distrito de Rajada, Petrolina - PE, realizará celebrações de finados em dois horários diferentes, no próximo dia 02, quarta-feira.
A primeira celebração acontecerá às 06h no cemitério central do distrito. Já a segunda acontecerá,  às 19h30, na Igreja matriz da Paróquia. As duas Celebrações serão presididas pelo padre Felipe Gomes, administrador paroquial.
Durante o dia, na Igreja, serão feitas as anotações de intenções para a celebração da noite. 

Por que algumas preces são atendidas e outras não, é falta de fé?

Começo explicando sobre a fé. Na Carta aos Hebreus encontramos: “A fé é o fundamento da esperança, é uma certeza a respeito do que não se vê” (Hb 11,1). Belíssima a definição para a fé, que é uma das virtudes teologais chamada infusa. Isso quer dizer que juntamente com a esperança e a caridade recebemos como dom gratuito pelo nosso Batismo.
A fé é como uma semente, precisamos fazer com que ela cresça e produza frutos. Então, podemos afirmar que é dom de Deus, ou seja, ela não nasce separadamente da vontade humana, porque ninguém acredita se não quiser, mas também ninguém acredita sem que Deus o permita.
A fé cresce e se revigora, mas precisa ser estimulada e exercitada. E podemos fazê-lo de várias formas, como o exercício da caridade, a vivência dos Sacramentos e na leitura da Palavra de Deus, no conhecimento da história da nossa salvação, os planos de Deus para suas criaturas.
Às vezes, nossos pedidos não são atendidos pela matéria da nossa prece, ou seja, porque não sabemos pedir. Mas São Paulo nos garante: “Do mesmo modo, também o Espírito vem em auxílio da nossa fraqueza, pois nem sabemos o que convém pedir; mas o próprio Espírito intercede por nós com gemidos inefáveis. E aquele que sonda os corações sabe quais são os desejos do Espírito, pois o Espírito intercede pelos cristãos de acordo com a vontade de Deus”. (Rm 8, 26-27).
Deus somente nos atende quando aquilo que pedimos é realmente o que necessitamos. Muitas vezes, nós, em nossa fragilidade e pequena concepção das coisas, pedimos aquilo que seria mais fácil, ou que resolveria nossa situação no momento. Deus vai além, enxerga aquilo que precisamos e sempre nos atende em nossa real necessidade.
Com toda a certeza, Deus somente dá o que é melhor para nós. Cabe a nós distinguir numa prece o que é nossa vontade, o que é capricho, e o que nos é realmente necessário. Deus não deixa nos faltar o essencial, mas não é por isso que devemos deixar de pedir. A oração de súplica é um voltar-se para Deus.
Com humildade, peçamos que nossa relação com Deus seja sempre fortalecida pela fé, para nunca nos afastemos Dele. Amém.
Deus abençoe,
Padre Reginaldo Manzotti - (Enviado por: Equipe Evangelizar é preciso) 

sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Paróquia São Francisco do Jardim Amazonas, anuncia horário das Celebrações de finados.

Por: Padre José Rogério

Nota da CNBB sobre a PEC 241.

A Presidência da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) divulgou nesta quinta-feira, dia 27 de outubro, durante entrevista coletiva à imprensa, a Nota da CNBB sobre a Proposta de Emenda Constitucional 241 (PEC 241), que estabelece um teto para os gastos públicos para os próximos vinte anos. O texto foi aprovado pelo Conselho Permanente da entidade, reunido, em Brasília, entre os dias 25 e 27 deste mês.
Leia o texto na íntegra:
“Não fazer os pobres participar dos próprios bens é roubá-los e tirar-lhes a vida.”
 (São João Crisóstomo, século IV)

O Conselho Permanente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil-CNBB, reunido em Brasília-DF, dos dias 25 a 27 de outubro de 2016, manifesta sua posição a respeito da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 241/2016, de autoria do Poder Executivo que, após ter sido aprovada na Câmara Federal, segue para tramitação no Senado Federal.
Apresentada como fórmula para alcançar o equilíbrio dos gastos públicos, a PEC 241 limita, a partir de 2017, as despesas primárias do Estado – educação, saúde, infraestrutura, segurança, funcionalismo e outros – criando um teto para essas mesmas despesas, a ser aplicado nos próximos vinte anos. Significa, na prática, que nenhum aumento real de investimento nas áreas primárias poderá ser feito durante duas décadas. No entanto, ela não menciona nenhum teto para despesas financeiras, como, por exemplo, o pagamento dos juros da dívida pública. Por que esse tratamento diferenciado? 
A PEC 241 é injusta e seletiva. Ela elege, para pagar a conta do descontrole dos gastos, os trabalhadores e os pobres, ou seja, aqueles que mais precisam do Estado para que seus direitos constitucionais sejam garantidos. Além disso, beneficia os detentores do capital financeiro, quando não coloca teto para o pagamento de juros, não taxa grandes fortunas e não propõe auditar a dívida pública.
A PEC 241 supervaloriza o mercado em detrimento do Estado. “O dinheiro deve servir e não governar! ” (Evangelii Gaudium, 58). Diante do risco de uma idolatria do mercado, a Doutrina Social da Igreja ressalta o limite e a incapacidade do mesmo em satisfazer as necessidades humanas que, por sua natureza, não são e não podem ser simples mercadorias (cf. Compêndio da Doutrina Social da Igreja, 349). 
A PEC 241 afronta a Constituição Cidadã de 1988. Ao tratar dos artigos 198 e 212, que garantem um limite mínimo de investimento nas áreas de saúde e educação, ela desconsidera a ordem constitucional. A partir de 2018, o montante assegurado para estas áreas terá um novo critério de correção que será a inflação e não mais a receita corrente líquida, como prescreve a Constituição Federal.
É possível reverter o caminho de aprovação dessa PEC, que precisa ser debatida de forma ampla e democrática. A mobilização popular e a sociedade civil organizada são fundamentais para superação da crise econômica e política. Pesa, neste momento, sobre o Senado Federal, a responsabilidade de dialogar amplamente com a sociedade a respeito das consequências da PEC 241.
A CNBB continuará acompanhando esse processo, colocando-se à disposição para a busca de uma solução que garanta o direito de todos e não onere os mais pobres.
Nossa Senhora Aparecida, Padroeira do Brasil, continue intercedendo pelo povo brasileiro. Deus nos abençoe!
Dom Sergio da Rocha
Arcebispo de Brasília
Presidente da CNBB 

Dom Murilo S. R. Krieger, SCJ
Arcebispo de São Salvador da Bahia
Vice-Presidente da CNBB

Dom Leonardo Ulrich Steiner, OFM
Bispo Auxiliar de Brasília
Secretário-Geral da CNBB
Fonte: (cnbb.org.br)

quinta-feira, 27 de outubro de 2016

Com novidades, paróquia Santa Luzia lança camisas da festa da padroeira deste ano.


Olha só que lindas as camisas deste ano para a Festa de Santa Luzia 2016! Como novidade teremos dois modelos: um com Santa Luzia adulta e um modelo criado pelos jovens especialmente para este ano, com Santa Luzia menina, voltado principalmente para o público infantil, mas também a todos que desejarem. Aos que querem adquirir podem procurar o plantão do dízimo durante as celebrações para fazer seu pedido. A camisa para adultos custa 22,00 e para crianças 20,00! (Texto e imagens: rede social da paróquia)

Centenas de fiéis são esperados para mais uma Romaria da Gruta de Patamuté, em Curaçá.

A Paróquia Bom Jesus da Boa Morte e São Benedito, situada em Curaçá, no norte da Bahia, já está se preparando para a Romaria da Gruta de Patamuté, em homenagem ao Sagrado Coração de Jesus. Os ritos terão início no próximo dia 31, com uma missa de recepção aos devotos, às 18h30, na área externa da gruta, que está situada a 18km da sede do distrito.
Em seguida, os fiéis passarão a noite em orações, fazem confissões e assistem apresentações culturais de grupos e artistas populares das comunidades da região. Na ocasião, o público poderá prestigiar o pré-lançamento do filme “Uma aventura no Semiárido”, produzido pelo Instituto Regional da Pequena Agropecuária Apropriada (IRPAA).
O encerramento da Romaria acontecerá na manhã do dia 1º/11, data em que também é comemorado o Dia de Todos os Santos. A programação da Romaria continuará por toda a manhã, quando serão realizadas missas às 6h, 8h e 10h no interior da gruta.
Este ano a romaria  – cujo Tema é “O clamor dos pobres e o gemido da criação exigem conversão” – tem previsão de receber uma média de 5 mil romeiros vindos de vários estados do Nordeste. A Gruta de Patamuté foi descoberta no final do século XIX pelo padre missionário Pedro Cavalcante Rocha, que era pregador das Santas Missões. Entre os anos de 1905 e 1914 o padre Manoel Félix iniciou a Romaria, que se tornou um dos eventos religiosos mais expressivos da região. (Fonte: carlosbritto.ne10.uol.com.br)

quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Nesta quarta-feira, Dom Manoel, bispo de Petrolina, presidirá Missa e bênção na nova capela da comunidade de Mudubim.

A comunidade Católica de Mudubim, zona rural do distrito de Rajada, Petrolina - PE, receberá logo mais, às 16h, o bispo diocesano de Petrolina - PE, Dom Manoel dos Reis de Farias, para presidir a Santa Missa e bênção na capela da comunidade.
Área pastoral pertencente a Paróquia Nossa Senhora das Dores de Rajada, que tem o padre Felipe Gomes como administrador paroquial, a comunidade de Mudubim iniciou suas atividades como comunidade atuante na vida da Igreja e logo começou a construção da capela, e na data tão expressiva de 26 de outubro, receberá a comunidade local, membros da Paróquia de Rajada, além do padre responsável pela comunidade.

O que há depois da morte?

A morte é consequência do pecado. “O salário do pecado é a morte” (Rom 6,23). Por isso o nosso Catecismo afirma que: “A morte corporal, à qual o homem teria sido subtraído se não tivesse pecado”, é assim “o último inimigo” do homem a ser vencido (1 Cor 15,26). (n. 1008)
Mas, graças a Cristo, a morte cristã tem um sentido positivo. “Para mim, a vida é Cristo, e morrer é lucro” (Fl 1,21). “Fiel é esta palavra: se com Ele morremos, com Ele viveremos” (2Tm 1,11). Esta é a esperança cristã mostrada por São Paulo. O homem é formado de corpo e alma; a morte é a separação de ambos. A visão cristã da morte aparece claro na liturgia da Igreja, cheio de esperança: “Senhor, para os que creem em vós, a vida não é tirada, mas transformada. E, desfeito nosso corpo mortal, nos é dado, nos céus, um corpo imperecível”. Na ressurreição, quando Cristo voltar, na Parusia, Deus restituirá a vida incorruptível ao nosso corpo transformado, unindo-o novamente à nossa alma.
A Igreja ensina que após a morte, sobrevive a nossa alma imortal, criada à imagem de Deus, e é nela que estão as nossas faculdade, como a Inteligência, a vontade, a memória e a consciência. O nosso “eu humano” subsiste. Portanto, ninguém permanece “dormindo” após a morte. A narrativa de Jesus, mostrando a realidade após a morte do rico epulão e do pobre Lázaro, cheio de feridas, mostra esta verdade. A Carta aos Hebreus diz que “Está determinado que cada um morra uma única vez e em seguida vem o juízo” (Hb 9,27). Isto é, ninguém morrerá duas vezes, a não ser aqueles que, por milagre, foram ressuscitados.
Os que morrem na amizade de Deus e estão perfeitamente purificados, imediatamente vão para o céu e participam da visão beatifica de Deus, na companhia da Virgem Maria, dos anjos e dos santos. Os que morrem na graça e na amizade de Deus, mas não estão totalmente purificados, já têm a salvação eterna garantida, mas passam depois de sua morte por uma purificação, afim de obter a santidade necessária para entrar na alegria de Deus. (CIC §1054). É o purgatório.
Com base na “Comunhão dos santos”, a Igreja reza pelos defuntos, especialmente na santa Missa e pelas indulgências. E a Igreja lembra a seus filhos sobre a “triste e lamentável realidade da morte eterna, denominada também de “inferno” (n.1056). O sofrimento principal do inferno está na separação eterna de Deus, o único em quem o homem pode ter a vida e a felicidade para as quais foi criado. No Juízo Final, toda justiça será feita. Mas, “Deus quer que todos sejam salvos e cheguem ao conhecimento da verdade” (1 Tm 2,4). (Texto: cleofas.com.br)

terça-feira, 25 de outubro de 2016

Como lidar com a traição no matrimônio?

A Igreja diz que o Sacramento do Matrimônio é indissolúvel. Se foi válido não pode separar; se não foi válido, ou seja não houve o sacramento, a Igreja o declara nulo, o casamento não existiu.
No entanto, se o matrimônio foi válido (houve o sacramento) e acontece um adultério consumado, ou seja, a pessoa comete o adultério constantemente, a outra parte tem direito de se separar. O Código de Direito Canônico da Igreja (Cf. cânones §1151-§1155) se refere s isso quando a pessoa é traída, e o outro não muda, não se converte; a parte afetada tem o direito de se separar. O que ela não terá é o direito de se casar novamente, mas tem sim o direito de pedir a separação.
A separação física não acaba com o casamento, não rompe o vínculo conjugal. É legítima defesa daquela pessoa que está sendo traída. Evidentemente, a Igreja sempre pede que se tente ao máximo a reconciliação.
Infelizmente as mulheres sofrem muito mais em relação à traição do que os homens.  Entretanto, há mulheres que têm uma fé tão robusta que são capazes de carregar uma cruz dessas até o fim, sem pedir a separação, isso depende da fé de cada mulher. A Igreja como boa mãe diz você tem até o direito de se separa se o casamento está te destruindo, mas não tem o direito de se casar. (Texto: cleofas.com.br)

Na Vila Mocó em Petrolina, festa de São Judas Tadeu continua até dia 28.

Enviado por: Alerson Shesmo

segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Deus proíbe o uso de imagens?

No livro do Êxodo 20,4-5 Deus parece proibir o uso de imagens. Mas por que essa proibição? Porque podiam ser ocasião a que o povo de Israel as adorassem, como faziam os povos vizinhos dados à idolatria. Os israelitas tendiam a imitar gestos religiosos pagãos e, por isso, muitas vezes caíram na idolatria. Deus queria incutir o conceito de Javé, mostrando que o Senhor era diferente dos deuses dos outros povos. Deus não somente permitiu, mas até mandou que se fizessem imagens sagradas. Veja: Ex 25,17-22 – Deus manda Moisés colocar 2 querubins de ouro na Arca da Aliança, onde Javé falava com seu povo.
1Rs 6,23-28 – No Templo construído por Salomão foram colocados querubins de madeira junto à Arca da Aliança. E as paredes do templo tinha imagens de querubins. Tudo feito com ordem de Deus, conforme vemos em 1Cr 22,6-13, e em Ex 31,1-11.
1Rs 7,25.29 – No Templo de Salomão havia também bois de metal, leões, touros e querubins.
Nm 21,8-9 – Deus ordenou a Moisés que fizesse uma serpente de bronze, e quem olhasse para ela seria salvo.
As antigas catacumbas cristãs, desde o primeiro século, apresentavam imagens bíblicas. Noé salvo do diluvio, Daniel na cova dos leões, o Peixe que simbolizava o Cristo e muitas outras. Será que esse cristãos que eram perseguidos pelos romanos, eram idólatras por isso?
No século III, encontramos imagens nas sinagogas da Palestina. A sinagoga de Dura-Europos, na Babilônia, tinha a representação de Moisés, Abraão e outros. Dizia o Papa São Gregório Magno: “Uma coisa é adorar uma imagem, outra coisa é aprender, por essa imagem, a quem se dirige as tuas preces. O que a Escritura é para aqueles que sabem ler, a imagem o é para os iletrados. Por essas imagens, aprendem o caminho a seguir. A imagem é o livro daqueles que não sabem ler”.

O Concílio de Nicéia II, em 789, aprovou definitivamente ou uso das imagens e o recomendou. Ele disse: “Quanto mais os fiéis contemplarem essas representações, mais serão levados a recordar-se dos modelos originais. Uma veneração respeitosa sem que isto seja adoração, pois esta só convém, segundo a nossa fé, a Deus”. Em Karlsruhe, em 1956, os luteranos reunidos em Congresso aprovaram que a ordem de Cristo de pregar o Evangelho em todas as línguas, inclui também a linguagem figurada do artista. Perguntavam-se: “Por que admitir as impressões auditivas na catequese e rejeitar as impressões visuais? Estas parecem ainda mais eficientes do que aquelas.” (Der christliche Sonntag, em 14/10/1956, pág. 327). (Texto e imagem I: cleofas.com.br)

Maria: Vencedora de Satanás e das heresias.

Desde os primórdios da humanidade Maria recebeu de Deus o poder e a missão de esmagar a cabeça da serpente maligna. Disse Deus a ela no paraíso:
“Porei inimizade entre ti e a mulher entre a tua descendência e a dela. Ela te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar” (Gn 3,15).
Os Santos Padres afirmam que assim como o pecado entrou no mundo por meio da mulher, assim também a salvação haveria de chegar à humanidade pela mulher. E esta mulher, a nova Eva, a nova Virgem, desde toda a eternidade Deus escolheu que fosse Maria.
Quando Jesus se dirige à Sua Mãe e lhe chama de “mulher”, em vez de chamá-la de mãe, em Caná da Galileia (Jo 2) e aos pés da Cruz (Jo 19,25-27), é para nos indicar qual é a “Mulher” a que Deus se referiu no Gênesis. Esta “Mulher” é Sua Mãe. Assim, nas bodas de Caná, Jesus lhe diz: “Mulher, isso nos compete a nós? Minha hora ainda não chegou (Jo 2,4). E depois, na cruz, momentos antes de morrer, quando Jesus nos dá Sua Mãe para nossa Mãe, Ele diz a ela: “Mulher, eis aí teu filho” (Jo 19, 26).
Fica assim, muito claro, que a “mulher” do Gênesis que esmagaria a cabeça da serpente maligna é Maria. Como nos ensina São Leão Magno, Papa e doutor da Igreja no século V, Deus usou Maria para ludibriar a sagacidade da serpente, como já dissemos. Por sua virgindade e por sua concepção imaculada desconhecidas do tentador, Deus fez com que Maria concebesse Jesus, Deus e homem, por obra do Espírito Santo, livre das garras do pecado e do demônio. Assim Jesus, livre e soberano, homem e Deus, pôde destruir o império do Mal. (Texto: cleofas.com.br)

domingo, 23 de outubro de 2016

Conheça mais sobre os Mandamentos da Lei de Deus.

Não roubar
- Apropriar-se do que não é seu
- Roubar a paz
Não levantar falso testemunho
- Matar com a língua.
- Desmoralizar
- Ter misericórdia com o próximo
Quando falar, falar com a pessoa certa, pedir a orientação do Espírito Santo.
Jesus disse: Não é o que entra pela boca que causa mal e sim o que sai da boca.
Não desejar a mulher do próximo
- Respeito ao compromisso assumido pelos outros
- Matrimônio
- A importância da família
Não cobiçar as coisas alheias
- Sermão da Montanha - Mt. 5, 1 - 12
"O Ser tem que estar acima do Ter"
Quando Jesus morreu na cruz Ele realizou a salvação. Na hora de sua morte, o sacrifício de Cristo se torna a fonte de onde brotará o perdão dos pecados portanto, para todo pecado existe perdão, apenas um único é imperdoável: é você morrer sem acreditar em Deus, é o pecado contra o Espírito Santo, é o pecado da pessoa que não aceita o amor de Deus e o seu perdão. (Fonte: catolicoorante.com.br)

Entenda sobre a obra da infância e adolescência missionária.

Ministério de música Infância Missionária - Rajada
Fundada por Dom Carlos Forbin-Janson (1785-1844), bispo, em Paris (França).
As notícias vindas dos missionários do Oriente, de modo especial da China, sobre a dura realidade das crianças (mortalidade, abandono...) sensibilizou o coração de Dom Carlos Augusto Maria José de Forbin Janson, Bispo de Nancy e de Toul, Primaz de Lorena (França), despertando-lhe o desejo de aliviar os sofrimentos e salvar a vida de tantos inocentes. Teve então a ideia de convocar as próprias crianças para enfrentar o desafio – “Crianças ajudam e evangelizam crianças” - fundando a Obra da Santa Infância, hoje Infância e Adolescência Missionária, no dia 19 de maio de 1843, em Paris (França).

A obra difundiu-se imediatamente nas dioceses da França, e em outros países da Europa e da América. Em 1844, quando Dom Carlos morreu, a Infância e Adolescência Missionária já estava organizada em 65 dioceses. No Brasil, ela chegou por meio de missionários franceses, em 1858. A partir de 1993, nas comemorações dos 150 anos da fundação, a sua “chama ainda fumegante” readquiriu novo ardor, como “fruto novo do coração da Igreja”. (Texto enviado por: Frei Paulo Cardoso - bispo emérito de Petrolina)

quinta-feira, 20 de outubro de 2016

RELEMBRANDO: Seminaristas da diocese de Petrolina continuam em missão na Paróquia de Rajada.

A Paróquia Nossa Senhora das Dores, com sede no distrito de Rajada (Petrolina-PE) está vivenciando uma semana de missão, proporcionada pelos seminaristas da diocese de Petrolina, que iniciou no último dia 17 (domingo) e continua até dia 22 (sexta-feira).
Nesta quinta-feira, 22, durante o dia, a 'missão' segue com continuação das visitas nas residências de Rajada; já na parte da noite, os seminaristas realizarão formações para os membros de pastorais, da paróquia e a comunidade. Na sexta-feira, pela manhã, continuarão as visitas, concluindo a missão à tarde.
Matéria publicada em: 20 de janeiro de 2016

Participe da Campanha "Natal de Verdade".

Enviado por: Equipe Evangelizar (Pe. Reginaldo Manzotti)

quarta-feira, 19 de outubro de 2016

RELEMBRANDO: Em Rajada, açude ‘sangra’ e moradores transbordam de alegria.

Depois da barragem de Cruz de Salinas, na zona rural de Petrolina, foi a vez de outro grande reservatório na zona rural da cidade ‘sangrar’.
Em Rajada, a cerca de 78km da sede, a população está em festa. Muita gente se deslocou até o local para ver o açude transbordado. Uma alegria só. Fonte: blog de Carlos Britto. (Matéria publicada em: 01 de fevereiro de 2016)

terça-feira, 18 de outubro de 2016

Horários de Missa, encontros e devoção da Paróquia de Rajada.

A Paróquia Nossa Senhora das Dores, com sede no distrito de Rajada, Petrolina - PE, convida a todos para as celebrações dominicais, de pastorais, adoração ao Santíssimo, devoção de Padre Cícero e encontros semanais, que acontecem sempre na Igreja matriz da Paróquia.
Venham participar com sua família destes momentos de graça:
- Celebração dominical: segundo domingo de cada mês, às 09h00;
- Celebrações dominicais: todos os domingos, às 19h30;
- Celebração com o grupo Homens do Terço: segunda terça-feira, às 19h30; (para a comunidade)
- Celebração com o grupo Mulheres do Terço: primeira sexta-feira, às 19h30; (para a comunidade)
- Devoção de padre Cícero à Nossa Senhora, todos os dias 20 de cada mês, iniciando às 06h da manhã;
- Toda sexta-feira, às 19h30, encontro das mulheres para reza do Terço, na Igreja ou nas residências;
- Toda terça-feira, às 19h30, encontro dos homens para reza do Terço, na Igreja ou nas residências.
Divulguem as celebrações e encontros da paróquia.

Quinta-feira é dia de devoção de padre Cícero na paróquia de Rajada.

A Paróquia Nossa Senhora das Dores, localizada no distrito de Rajada, Petrolina - PE, realizará nesta quinta-feira, 20, mais um dia de programação da devoção de Padre Cícero à Nossa Senhora das Dores.

A programação iniciará às 06h com o ofício; às 18h, acontecerá a hora da Graça; a Santa Missa e bênção do Santíssimo acontecerá às 19h30. Toda a programação acontecerá na Igreja matriz da Paróquia, conduzida por membros de pastorais e pelo padre Felipe Gomes, administrador da Paróquia.  

domingo, 16 de outubro de 2016

Imagem de Nossa Senhora Aparecida chega a Paróquia militar em Petrolina nesta quarta-feira.

Em comunhão com a Igreja Católica do Brasil, que está celebrando a preparação para os 300 anos da aparição de Nossa Senhora Aparecida, a Paróquia Militar São José em Petrolina, celebrará de forma especial entre os dias 19 e 22 deste mês, a presença da imagem da padroeira do Brasil. 
Confiram o convite e participem da programação:

Durante os dias 19 a 22 de outubro, a Paróquia Militar estará recebendo a Imagem peregrina de Nossa Senhora Aparecida. A visita de Nossa Senhora Aparecida é um momento de graças e bênçãos na vida de todos aqueles que reconhecem a contribuição de Maria: a Mãe de Deus na obra salvífica do Deus Criador. A nossa comunidade formada por militares do: Exército, Marinha, Aeronáutica, Policia Militar de Pernambuco e da Bahia, Bombeiros militar de Pernambuco e Bahia, Colégio Militar PM/PE e PM/BA e os muitos civis que conosco formam a Paróquia Militar São José em Petrolina, alegram-se por tão importante visita. Receber a visita da Padroeira do Brasil para viver um tempo especial da graça de Deus, tendo oportunidade de aproximar-se de Jesus e entrar na dinâmica da Salvação.
Deus abençoe a todos nós pela intercessão da Virgem Santíssima a Senhora Aparecida. Contamos com a presença de todos.

No distrito de Rajada, Creche Gabriel Moreira promove mais uma ação na semana das crianças, desta vez com o piquenique do maternal.






Fotos: Leilia Macedo (10/16)

sábado, 15 de outubro de 2016

Campanha para a Evangelização reflete compromisso com a missão da Igreja e abre preparação para celebrar o Natal.

Na preparação para a celebração do Natal, o tempo do Advento é marcado pela espera da chegada do Messias. No Brasil, este tempo litúrgico ganha especial motivação com a reflexão e o aprofundamento do compromisso dos fiéis e das comunidades com a missão da Igreja de Evangelizar propostos pela Campanha para a Evangelização (CE), promovida pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Na edição deste ano, o lema escolhido é “Ele está no meio de nós”.
Criada em 1997, durante a Assembleia Geral da CNBB, e iniciada em 1998, a Campanha tem como objetivo favorecer a vivência do tempo litúrgico do Advento e mobilizar a todos para uma Coleta Nacional que ofereça recursos a serem aplicados na sustentação do trabalho missionário no Brasil. Tal iniciativa considera a ajuda para dioceses de regiões mais desassistidas e necessitadas. 
O objetivo da Campanha é despertar os discípulos e as discípulas missionários para o compromisso evangelizador e para a responsabilidade pela sustentação das atividades pastorais no Brasil.
A abertura da CE é realizada na Festa do Cristo Rei, encerramento do Ano Litúrgico, este ano, dia 20 de novembro. A conclusão acontece no terceiro domingo do Advento, dia 11 de dezembro, quando deve ser realizada, em todas as comunidades católicas, a Coleta para a ação evangelizadora no Brasil.(Fonte: cnbb.org.br)

Entre outras ações, Creche Gabriel Moreira em Rajada, comemora semana da criança com festival de cinema.







Fotos: Leilia Macedo (10/2016)

Seguidores